segunda-feira, fevereiro 28, 2005

Simply the best

"A imprensa deste país precisa de ouvir algumas coisas. Andaram a falar de Primeiro e de Terceiro Mundo, referindo-se a Inglaterra e a Portugal, respectivamente. Será que tenho de provar alguma coisa? Quando cheguei só havia um treinador campeão europeu [Alex Ferguson]? Precisam mesmo de ouvir umas coisas ainda que, com isso, crie inimigos e venha a sofrer consequências no futuro." E, por tudo isto, na conferência de Imprensa, Mourinho disse as tais coisas que eles têm de ouvir: "Sinto que não querem ver o Chelsea ganhar, que não querem ver os portugueses ganhar. Dizem que somos do Terceiro Mundo, mas foi preciso vir até Inglaterra esse Terceiro Mundo para ganhar algo que não ganhavam há tantos anos."

Que bem que o Mourinho faz ao ego dos Portugueses!!
Deviam existir mais "tugas" como ele: arrogante, convencido, indomável, insubmisso e, ainda para mais, bem sucedido naquilo que faz, o que lhe dá os indispensáveis argumentos e motivos para ser como é.
Pode parecer exagerado, mas vejo-o como uma recordação daquela que foi a época mais gloriosa da história de Portugal - os Descobrimentos - e do orgulho que era ser Português.
O Mourinho é um herói nacional e deve ser reconhecido como tal. Não porque tenha treinado o Clube A, B ou C, mas por ser Português e por ser o melhor do mundo...
Atrevo-me a dizer que, se ele estivesse disponível para perder cerca de 128 mil contos por mês (fora prémios e proventos extraordinários), estávamos perante o primeiro-ministro ideal para o Governo de Portugal (já agora, e dado que não seria mesmo para trabalhar, o Scolari podia ser o PR...).
O problema é que o preenchimento destes cargo não depende, em quase nada, do mérito individual do escolhido/eleito...