terça-feira, novembro 22, 2005

A "besta" devo ser eu...

Blatter questiona hinos antes dos jogos das selecções
O presidente da FIFA, Joseph Blatter, mostrou-se aberto à possibilidade de suprimir os hinos nacionais habitualmente entoados no início dos jogos das selecções.
Em entrevista à revista Schweizer Illustrierte, Blatter lembra os assobios que cobriram o hino da Suíça antes do início do jogo frente à Turquia, da segunda mão do «play-off» de acesso ao Mundial-2006.«Tratam-se de situações profundamente desrespeitosas e de grande difamação do orgulho nacional. Por isso, questiono se ainda faz sentido ouvir os hinos nacionais respectivos antes dos jogos», afirmou o presidente da FIFA.
Confesso:
Sempre que ouço o hino português antes dos jogos da selecção sinto arrepios!! Então se estiver no Estádio a sensação/emoção ainda é maior...
E mais:
Aqui há uns tempos participei num torneio internacional (não oficial, obviamente) e o jogo para o 3.º lugar foi antecido do hino nacional. Estava no banco, mas mesmo assim ia-me "borrando" todo...
Acredito que os jogadores sintam o mesmo e acrescento que, sempre que assisti a jogos entre selecções, ouvi em pé e em silêncio os hinos dos nossos adversários, aplaudindo no final (e ainda há pouco tempo, em Coimbra, todo o Estádio fez o mesmo ao hino da Croácia), pelo que, obviamente, não concordo com a conduta dos adeptos turcos, que, cumpre acrescentar, são pouco mais do que símios...
No entanto, parece-me que a mesma não deve/pode constituir fundamento para privar os jogadores e os adeptos daquele que, para mim, é um dos momentos mais bonitos e motivantes de um jogo entre selecções e que contribui - talvez como nenhum outro - para o fomento do orgulho nacional e do desportivismo.
Conclusão:
O Sr. Blatter nunca deve ter dado um chuto numa bola e parece estar a "confudir a árvore com a floresta", querendo fazer os adeptos e jogadores dos países civilizados (que não é, claramente, o caso da Turquia) pagar pelos erros dos outros...
Por outro lado, como Suíço que é, fica-lhe muito mal ser "juíz em causa própria" e revelar tão pouco poder de encaixe e respeito pela democracia...
Com efeito, a Suíça é, provavelmente, um dos países mais nojentos da Europa, mas nunca, por nunca, assobiaria o seu hino nacional ou o de qualquer outro país. Acho, no entanto, que quem o quiser fazer está no seu pleno direito...
Já agora:
O Sr. Blatter bem que se podia/devia preocupar com o que se passou depois do jogo em questão e não antes, sendo certo que, segundo sei, os seus compatriotas não se portaram (aliás, como sempre fizeram ao longo da história) lá muito bem...